terça-feira, 1 de junho de 2010

Retratos de mais uma noite de chuva e poesia


Mais uma vez, retormo este blogue do ponto de onde quase parei. Minhas experiências fotográficas autodidatas estão a pleno vapor. Os singelos ou ásperos resultados que estavam por conta da inatividade deste blogue, sem exposição, voltam para o lugar de onde nunca deveriam ter saído: os olhos dos que apreciam.

Hoje, por diversos motivos, resolvi sair da toca e, para usar uma expressão popular e jovem, "botar a cara".

Combinei o preto e o branco que me fazem suspirar ao fotografar ou ver uma imagem com a modalidade que mais me cativa: o retrato.

A chuva caiu desde que chegamos na Barra. Deu uma falsa trégua e nos obrigou a buscar o refúgio no interior da livraria hospedeira. O baixo teto, a boa iluminação e a inquietude do meu dedo levaram-me a fotografar com outra inspiração. Além dos fatores técnicos, o aconchego dos poetas e poetisas, o calor humano e os excelentes debates foram ingredientes fundamentais nestes Retratos de mais uma noite de chuva e poesia.

2 comentários:

Marisa Vieira disse...

O que seria das lentes "canon" se não fosse a excelência do fotográfo???

Belo, mui belo é só que posso dizer!
Evoé Vitor Vo
gel!

beijo da Marisa

Jana disse...

Encantada com tuas fotos...